Home Notícias Sindicato reivindica a presidente da Câmara que Congresso Nacional assuma Golden share...

Sindicato reivindica a presidente da Câmara que Congresso Nacional assuma Golden share da Embraer

SHARE

Representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos reuniram-se nesta quarta-feira (27) com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), em Brasília, para discutir sobre o acordo entre Boeing e Embraer. O Sindicato aponta que o uso da ação Golden Share seja atribuição do Congresso Nacional por se tratar de tema de interesse da União.

No encontro, que aconteceu na casa da Presidência da Câmara, o diretor do Sindicato Herbert Claros entregou a Maia um ofício com indicações de irregularidades identificadas no processo de negociação entre as duas empresas. O mesmo ofício, elaborado pelo advogado do Sindicato Aristeu Pinto Neto, foi enviado ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), no dia 16.

O Sindicato argumenta que a ação Golden Share da Embraer é um bem da União e, portanto, não pode ser de responsabilidade apenas do poder Executivo. Seu uso teria de, necessariamente, passar também por votação no Congresso Nacional.

Maia afirmou que vê com preocupação o acordo com a Boeing, já que a Embraer é uma importante empresa para o Brasil. O deputado se comprometeu a analisar o ofício.

O deputado federal Paulinho da Força (SD) também participou da reunião.

Descaso do Governo Federal
O vice-presidente Hamilton Mourão admitiu, ontem, ao site O Antagonista que existem pontos obscuros no acordo entre Boeing e Embraer, mas que mesmo assim “está tudo ok”. Este posicionamento mostra o descaso do Governo Federal com a entrega da empresa.

O próprio presidente Bolsonaro já demonstrou falta de conhecimento sobre o assunto. Sua declaração de aprovação à venda da Embraer foi dada no dia 10 de janeiro, sendo que o manual usado para a votação na Assembleia Geral Extraordinária (AGE) dos acionistas só foi divulgado no dia 24 de janeiro. A divergência nas datas confirma que o presidente ainda não estava preparado para dar o aval ao acordo.

“Apesar da aprovação ontem pela AGE, ainda há tempo de barrar este acordo. São muitas as irregularidades e elas não podem ser desprezadas pelo poder público. Agora é hora do Congresso Nacional assumir seu papel e defender a soberania nacional e o emprego dos trabalhadores brasileiros”, afirma o diretor Herbert.