Home Destaque Memorando revela que Embraer e Boeing faltam com a verdade sobre joint-venture

Memorando revela que Embraer e Boeing faltam com a verdade sobre joint-venture

SHARE

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos recebeu com indignação a informação de que a Embraer não terá qualquer poder de decisão na empresa a ser criada a partir da joint-venture com a Boeing.

Os planos de exclusão da Embraer no controle da nova empresa foram relatados pelo procurador do Trabalho Rafael de Araújo Gomes, em despacho que determina a quebra de sigilo do Memorando de Entendimentos para Parceria Estratégica entre Boeing e Embraer.
O despacho é de 11 de setembro e está disponível no site www.prt15.mpt.mp.b – processo nº 000353.2018.15.002/0.

Em sua determinação, o procurador revela parte do teor do memorando:
– Boeing teria o controle total operacional administrativo de NewCo;
– A New Co teria um conselho de administração, cujos membros seriam indicados por Boeing, e seria administrada por uma diretoria indicada pelo conselho de administração; Embraer indicaria um membro para atuar como observador (sem direito a voto) junto ao conselho de administração;
– O principal objetivo da Embraer em deter a participação societária em NewCo seria o de receber dividendos declarados por NewCo; Embraer não teria controle da NewCo ou de suas operações ou negócios.

A Embraer e Boeing vinham mantendo o memorando em caráter confidencial. O próprio procurador constatou uso de má-fé por parte da Embraer.
Caso a transação de fato seja concretizada, a Embraer passará a ser mera observadora da NewCo e não terá qualquer poder sobre ela. À Boeing caberão todas as decisões: inclusive o fechamento ou sua total transferência para os Estados Unidos, se assim considerar conveniente.

É um total desrespeito ao povo brasileiro essa postura adotada pelas empresas e pelo próprio governo, que faltam com a verdade diante de todo um país. A Embraer será entregue de bandeja para a Boeing e nada está sendo feito para que esse crime de lesa-pátria não seja concretizado.
Num momento em que a população clama por transparência e ética, a mais importante empresa de tecnologia do país mente para os brasileiros e trava negociações às escuras com uma gigante norte-americana.

Os fatos confirmam as denúncias que o Sindicato dos Metalúrgicos vem fazendo desde dezembro: a entrega da Embraer para a Boeing coloca em risco a própria existência da empresa brasileira. Para barrar essa perda irreparável, o governo tem o dever de vetar esse acordo.