Home Notícias Candidato a governador pelo PSTU assume compromisso de lutar contra venda da...

Candidato a governador pelo PSTU assume compromisso de lutar contra venda da Embraer

SHARE
Toninho Ferreira defende a reestatização da Embraer

A campanha contra a venda da Embraer para a Boeing ganhou o apoio do candidato ao governo de São Paulo pelo PSTU, Toninho Ferreira. Em reunião com dirigentes do Sindicato, nesta quarta-feira (12), ele assumiu o compromisso de se somar a esta luta, caso seja eleito.

Como ex-trabalhador da Embraer e ex-presidente do Sindicato, Toninho Ferreira já havia se manifestado diversas vezes contra a venda. Agora, sua opinião se transformou em compromisso público. A reunião aconteceu na sede provisória do Sindicato, que está aberto a todos os candidatos.

“Entregar a Embraer para a Boeing será um crime contra o país e contra os brasileiros, que construíram durante décadas essa história. A Embraer tem total domínio sobre o processo de construção de aeronaves. Isto vai se perder caso a Boeing conclua a compra. A empresa perderá o posto de terceira maior fabricante de aviões do mundo para se tornar uma mera montadora. Se eleito, vou dedicar meu mandato à luta contra a venda e pela reestatização da Embraer ”, afirma o candidato.

Esta não é a primeira vez que Toninho levanta a bandeira em defesa da Embraer. Na década de 90, esteve à frente da campanha contra a privatização da empresa. Para ele, a atual transação comercial com a Boeing é uma forma de aprofundar ainda mais a privatização e tirar o que resta das mãos do Estado – referindo-se à Golden share, ação especial de propriedade da União.

O acordo que está em negociação prevê a formação de uma nova empresa. Sobre ela, o governo não terá qualquer controle.

“O Sindicato convida todos os candidatos a assumirem esse compromisso em defesa da soberania nacional e do emprego de milhares de trabalhadores. O governador do Estado tem a obrigação de se posicionar contra a venda da Embraer e pressionar o governo federal e vetar a negociação”, afirma o presidente do Sindicato, Weller Gonçalves.