Home Notícias “Boeing-Embraer” é questionada pelo MPT

“Boeing-Embraer” é questionada pelo MPT

SHARE
Embraer

O Ministério da Defesa recebeu do Ministério Público do Trabalho (MPT) uma notificação dirigida à União, na semana passada, sobre a venda da Embraer para a norte-americana Boeing.  A notificação recomendatória pede que a montagem final dos aviões seja feita em território nacional, assim como a manutenção dos níveis de emprego. E que o governo se utilize dos dispositivos das ações golden share para condicionar essas garantias. O documento, assinado pelo procurador geral do MPT, Ronaldo Curado Fleury, e dois outros procuradores, foi entregue em mãos ao assessor especial do Ministério da Defesa, brigadeiro Ricardo Reis Tavares.

Preocupação é com desemprego aqui

Os procuradores elencaram várias situações que devem ser observadas pelo governo federal, com a exigência do governo norte-americano à Boeing em ampliar postos de trabalho nos EUA. Os procuradores deram 15 dias ao governo federal para se manifestar sobre negociação e participação do Ministério da Defesa. As informações são aguardadas e, inclusive, se haverá cumprimento das recomendações do Ministério Público Federal da área trabalhista. Em 2 de maio,  Boeing e Embraer foram notificadas pelo MPT quanto à manutenção de fábricas e empregos no Brasil.

Cidade à espera do diálogo

No entanto, esse novo reforço pode também estar ligado ao fato de alguma das partes não ter se manifestado ao pedido do órgão. Essa possibilidade foi aventada por técnicos da área. Tanto a Embraer como a Boeing deixaram, inclusive, de comparecer a debates junto com Congresso Nacional. O sindicato dos metalúrgicos de São José dos Campos (SP), sede da Embraer, que vem acompanhando de perto a situação, tem criticado a falta de diálogo na própria cidade, pois a Câmara de Vereadores não abriu o debate sobre o tema com a população.

Joint venture GPX

Informações extraoficiais dão conta que cerca de 7 mil funcionários seriam transferidos à nova empresa, a GPX, joint venture. Os 10 mil restantes ficariam na Embraer, que abriria Plano de Demissão Voluntária para cortar mais de 3 mil empregos. O procurador geral do MPT destaca que “considerando fatos apurados pelo Ministério Público do Trabalho e demais elementos de convicção  constante nos autos, verificou-se a prática de atos que podem gerar sensível redução de postos de trabalho da Embraer, ou até mesmo o encerramento de suas unidades produtivas no Brasil”.

Mais de dez mil empregos em SJC

Atualmente, a Embraer tem mais de 10 mil empregados em São José dos Campos e é uma das maiores empregadoras do município. A empresa tem cerca de 18 mil funcionários no país e em suas fábricas no estrangeiro. Além de ser a principal empresa do polo aeroespacial brasileiro, completará 50 anos em 2019. É um conglomerado transnacional fabricante de aviões comerciais, executivos, agrícolas e militares, peças aeroespaciais, serviços e suporte na área.

Fonte: DCI – Diário Comércio, Indústria & Serviços (Publicado em